sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Dinamarca é o primeiro País a aprovar taxa para produtos que engordam

Fonte: Green Savers



Desde 1 de Outubro que os consumidores dinamarqueses passaram a pagar mais pelos produtos ricos em gordura, como manteiga, leite, queijo, pizza, salsichas, banha de porco, óleo, azeite e alimentos processados.

As contas são fáceis de fazer: 225 gramas de manteiga aumentaram, em média, 35 cêntimos (R$ 0,85); 450 gramas de queijo custam agora mais €4,5 (R$ 11). E, em apenas um dia, 225 gramas de banha de porco passaram de €1,60 (R$ 3,95) para €2,1 (R$ 5,2) – mais 35%.

Tudo isto devido a uma nova taxa, que vai penalizar os produtos que engordam e tentar reduzir as doenças cardiovasculares, obesidade e diabetes. A taxa atinge especificamente as gorduras saturadas – que podemos encontrar na manteiga ou carnes – e vai levar ao aumento do preço – em €2,2 por quilo (R$ 5,4) – de qualquer comida que contenha mais de 2,3% de gordura saturada. Não é brincadeira, mesmo para o bolso de um dinamarquês.

A revista Time revela que os dinamarqueses comem muita gordura saturada, devido sobretudo à manteiga e salsichas, e que poderão estar em causa 82 milhões de quilos de comida sujeita à tal taxa. O resultado? 180 milhões de euros (R$450 milhões) de taxa por ano!

“Ao nível político houve um nível muito alto de consenso sobre esta lei. O acordo foi alargado. [Esta taxa] vai aumentar a esperança de vida dos dinamarqueses e melhorar a sua saúde”, explicou o principal consultor do Ministério dinamarquês que regula as taxas, Tor Christensen.

Aliás, a taxa foi aprovada por 90% do parlamento, um número de consenso elevado até para os padrões nórdicos. Com a aprovação desta lei, a Dinamarca torna-se no primeiro país do mundo a introduzir este tipo de imposto. Fará escola?

A verdade é que Dinamarca foi também o primeiro país do mundo a banir as gorduras trans, em 2004, o que levou à redução das doenças cardiovasculares dos dinamarqueses em 30%.

As várias indústrias atingidas por esta taxa, claro, já vieram criticá-la (a associação local dos alimentos e bebidas já veio dizer que, no limite, os consumidores cruzarão a fronteira com a Alemanha para fazerem compras), e a medida até nem é consensual entre os cientistas.

Parte da comunidade científica diz que a gordura saturada não é o maior inimigo da má alimentação, ao contrário do excesso de sal, do açúcar e hidratos de carbono, que estão presentes em alimentos como o arroz, massas, bolos, pão e bolachas.

Qual a sua opinião sobre este tema? Defende a aplicação desta taxa em Portugal, Brasil ou Angola?

Sem comentários:

Enviar um comentário